01/09/15

Aconteceu a 1 Setembro 1952

Neste dia, Cândido de Oliveira, que chegou a ser treinador do FC Porto precisamente nessa altura, ofereceu ao clube a famosa carta de Nicolau d’Almeida, que em Outubro de 1893 desafia o Clube Lisbonense para um jogo, no que seria o primeiro jogo de futebol do FC Porto.

Corona: “Sou um jogador atrevido”


Jesús Corona é reforço do FC Porto. O avançado, que jogava no Twente, da Holanda, definiu-se como um jogador atrevido e prometeu, em declarações ao Porto Canal e www.fcporto.pt, trabalhar dentro e fora de campo para poder ajudar a equipa. O mexicano assinou por cinco temporadas e tem uma cláusula de rescisão de 50 milhões de euros.
Sinto-me muito bem, muito tranquilo e muito contente com o passo que dei. Os melhores momentos são vividos ao lado da família e hoje toca-me viver este momento ao máximo. Chegar a uma equipa como esta significa muito para mim e para a minha carreira. Agora espero trabalhar, adaptar-me muito rapidamente e dar uma grande satisfação aos treinadores e aos adeptos. A única promessa que posso fazer é que vou trabalhar dentro e fora do campo, disse o avançado.
Nas primeiras declarações envergando a camisola dos Dragões, Corona confidenciou que vai usar o dorsal número 17 - porque é o dia em que nasceu o meu filho e é o dia da minha mulher – e deixou uma pequena descrição para aguçar o apetite dos portistas: Sou um jogador atrevido, que espera continuar a trabalhar e continuar a subir na carreira. Fui contratado pelo FC Porto e agora quero ajudar a equipa.

Miguel Layún: "Estou em plena maturidade"


O mexicano Miguel Layún é o derradeiro reforço do FC Porto neste mês de Agosto, por empréstimo de uma temporada dos ingleses do Watford, com opção de compra fixada em seis milhões de euros. O mexicano, de 27 anos, garantiu ao Porto Canal e www.fcporto.pt que está em plena maturidade e que vai dar em tudo em campo, até à última gota de suor. Para além disso, frisa que a sua polivalência será uma arma ao dispor do treinador Julen Lopetegui, com quem já conversou.
Sinto-me muito bem, estou feliz por estar aqui e pertencer a esta grande equipa, que está habituada a lutar pelo mais alto, devido à sua grandeza. Estou com muita vontade de começar a treinar, de pôr-me ao nível dos meus companheiros e disputar um lugar no onze, garantiu Layún, que admitiu que chegou ao ponto alto da carreira. O presente é sempre o melhor momento, mas, definitivamente, no plano desportivo estou em plena maturidade. Emocionalmente atravesso um momento muito bom e tudo isso ajuda a que o rendimento no campo seja melhor, acrescentou.
Layún revelou que foi contratado tendo em mente o lado esquerdo da defesa, mas não escondeu a versatilidade. Posso jogar na direita, na esquerda e como trinco. É muito importante que o treinador tenha essa noção, porque vai permitir-me trabalhar muito melhor, declarou o futebolista, que tem no currículo, para além do Watford, passagens pelos Tiburones Rojos e Club América, no México, e Atalanta, de Itália.
Trinta vezes internacional pela selecção principal do seu país, em que já apontou três golos, o jogador sublinhou, para além da polivalência, a sua entrega e determinação. Gosto de ser um jogador que deixa tudo em campo. Depois todos temos virtudes e características diferentes, mas o principal é dar tudo por cada posse de bola e espero pôr em prática a verticalidade que gosto de imprimir ao meu jogo. Somos seres humanos e podemos cometer erros, mas a entrega vão notar, prometeu.
O novo camisola 21 chega ao FC Porto depois de se ter aconselhado com actuais e ex-colegas: Sei que é um clube que dá o melhor aos jogadores. Tive muito boas referências, mas isso não ofusca a história do clube, que chama a atenção a qualquer jogador. Como companheiros de equipa, Layún terá os compatriotas Herrera e Corona.

31/08/15

Aconteceu a 31 Agosto 1995

Neste dia, o portista Nuno Fernandes tornou-se no primeiro saltador à vara português a conseguir uma medalha numa grande competição internacional. Foi no Japão, em Fukuoka, nas Universíadas, que Nuno Fernandes conquistou a medalha de bronze, ao saltar 5,55 metros.

FC Porto B

A equipa principal de futebol apenas regressa ao trabalho amanhã, e desfalcada de vários internacionais, mas ontem foi dia da formação B seguir as pisadas do grupo de Lopetegui. O FC Porto B bateu o Freamunde por 2-1, em encontro da quinta jornada da Segunda Liga, com golos de André Silva e Gleison. Os Dragões estão provisoriamente no quarto lugar da prova, com nove pontos.
André Silva, que até faz parte do plantel principal, tem sido a grande figura da equipa. É o melhor marcador da Segunda Liga, com cinco golos em cinco jogos, tendo ainda assistido Gleison para o golo decisivo no encontro de ontem. No final da partida, o avançado afirmou que está apenas a fazer o seu trabalho: marcar golos. O treinador Luís Castro destacou a exibição na segunda parte e mostrou-se contente com o crescimento da equipa.

30/08/15

Vitória dos Dragões (2-0) vale liderança provisória da Liga portuguesa


O FC Porto é líder (pelo menos provisório) da Liga portuguesa, após bater por 2-0 o Estoril, com golos de Aboubakar (apontou o terceiro golo na prova e é um dos melhores marcadores) e Maicon, de livre directo, quase dois anos depois do último festejo em jogos oficiais. Os lances decorreram nos primeiros minutos da primeira parte e aos 17 da segunda, o que permitiu quebrar a resistência de um adversário organizado e persistente, que vendeu cara a derrota. Com este resultado, os azuis e brancos levam 11 triunfos consecutivos no Dragão em jogos da Liga (sempre sem sofrer golos) e 15 em todas as competições, numa sequência iniciada em Dezembro de 2014.
A exibição do FC Porto - num Dragão com uma excelente casa, em final de tarde de Verão - pode não ter sido brilhante, mas fica precisamente esse dado: na principal competição portuguesa é preciso recuar mais de oito meses e 1115 minutos para encontrar um adversário a marcar no estádio dos portistas. No entanto, a marca fica ainda aquém dos 1127 minutos fixados por Vítor Baía e Silvino, em 1995/96. Do encontro ficam ainda na retina os erros de arbitragem de Duarte Gomes, mesmo que não tenham tido influência no resultado: não se percebeu o critério dos cartões amarelos (Afonso Taira, por exemplo, deveria ter visto o segundo quando viu o primeiro) e, nos últimos minutos, ficou por marcar um penálti por mão de Gerso na área estorilista e foi mal assinalado um fora de jogo a Herrera, quando este seguia isolado.
No onze inicial, Lopetegui promoveu duas alterações face ao jogo com o Marítimo: Martins Indi foi o defesa esquerdo, em vez de Cissokho, e Herrera cedeu o lugar a Tello, o que implicou a passagem de Brahimi para o vértice mais avançado do meio-campo. O Estoril até arrancou com vontade de pressionar os portistas em todo o campo, mas os planos saíram furados com o golo madrugador dos Dragões, aos seis minutos: Brahimi tirou um adversário da frente, precisamente no corredor central, e assistiu Aboubakar na perfeição. O camaronês cumpriu a sua parte e apontou o quarto golo nos últimos quatro jogos na prova.
Um golo apontado tão cedo é muitas vezes o suplemento de confiança de que uma equipa precisa para arrancar para uma exibição dominadora, mas não foi este o caso. O Estoril manteve a postura agressiva e os azuis e brancos foram baixando o ritmo e falhando muitos passes. Não é que os forasteiros tenham tido muita posse de bola ou criado grandes situações de golo - um desvio ao lado do ex-portista Diego Carlos, aos 23 minutos, na sequência de um canto, foi o lance mais perigoso -, mas a exibição do FC Porto não agradava claramente a Lopetegui. Por isso, o treinador fez mesmo uma substituição antes do intervalo: André André rendeu Varela e Brahimi passou para o flanco esquerdo do ataque.
O FC Porto também não entrou bem no segundo tempo, com o Estoril a chegar algumas vezes perto da baliza de Casillas e a conseguir criar perigo logo aos 51 minutos, graças a um remate de Léo Bonatini, interceptado por Danilo. O jogo estava complicado, mas os Dragões voltaram a marcar no momento certo: Maicon assumiu a marcação de um livre na zona frontal, descaído para a direita, e rematou com força e colocação para o 2-0. A falta (de novo sem merecer cartão amarelo) que originou o lance foi sofrida por André André, que veio trazer ordem e intensidade ao meio-campo portista, onde já morava então Herrera (substituiu Imbula).
A partir daí e até ao apito final, não houve muito para contar. O FC Porto controlou a partida e, nos descontos, para além dos lances já referidos, com intervenção de Duarte Gomes, Osvaldo obrigou Kieszek a uma defesa difícil, num remate à meia-volta que lhe poderia ter permitido a estreia a marcar com a sua nova camisola.

29/08/15

Portistas nas Selecções

André André, Danilo Pereira e Varela, para a selecção portuguesa, Cassillas para a selecção espanhola, Indi para a selecção holandesa, Rafa, Rúben Neves, Francisco Ramos e André Silva para a selecção de Sub-21, engrossam o número de jogadores do FC Porto que a partir de segunda-feira vão estar ao serviços das selecções. Para já, são 13.

Lista de 18 convocados contra o Estoril

Helton e Casillas (guarda-redes); Maxi Pereira, Martins Indi, Maicon, Marcano, Rúben Neves, Varela, Brahimi, Aboubakar, Dani Osvaldo, Tello, José Ángel, Herrera, André André, Danilo, Alberto Bueno e Imbula.

Pinto da Costa hospitalizado


Jorge Nuno Pinto da Costa sofre de uma crise de vesícula, por precaução ficou internado no Hospital de São João e hoje mesmo submeter-se-á a uma simples intervenção cirúrgica para extracção do órgão. O presidente do FC Porto está a ser muito bem tratado pela equipa médica do hospital e em breve regressará à actividade normal.

19/08/15

Aconteceu a 19 Agosto 1987

Neste dia, o FC Porto disputava a final do prestigiado Torneio Joan Gamper, em Barcelona. Em Camp Nou, o adversário era o Bayern Munique, e a vitória voltou a ser nossa, numa reedição da final de Viena, realizada meses antes. Resultado: 2-0, golos de Semedo e de Madjer - novamente com o pé esquerdo, mas não com o calcanhar - que permitiram trazer o troféu para a cidade Invicta.



​​Hugo Miguel é o árbitro do Marítimo-FC Porto

O árbitro Hugo Miguel foi nomeado pelo Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol para dirigir o jogo entre o Marítimo e o FC Porto, no Estádio da Madeira, marcado para sábado, às 20h45. Será auxiliado por Nuno Roque e Hernâni Fernandes.
Internacional desde 2003, Hugo Miguel arbitrou um jogo dos Dragões na época passada: foi na deslocação ao Estádio do Bessa, que terminou com uma vitória portista por 2-0​. Esta temporada, o juiz lisboeta dirigiu duas partidas da Segunda Liga e ainda uma da segunda pré-eliminatória da UEFA Champions League, entre o Lincoln Red Imps, de Gibraltar, e o Midtjylland, da Dinamarca.​

18/08/15

Aconteceu a 18 Agosto

Neste dia chegava ao Dragão Jesualdo Ferreira, depois da inesperada demissão de Co Adriaanse, que tinha ganho o campeonato anterior. Jesualdo pegou numa equipa campeã e três anos depois era tetracampeão.

Sobrevivência

Houve ainda um penalti a nosso favor que não foram capazes de apitar, afirmou o treinador Fabiano Soares, após o final do jogo Benfica-Estoril. O árbitro apita facilmente a favor do Benfica, secundou o defesa Yohan Tavares. Estas duas frases ilustram uma arbitragem infeliz do árbitro Tiago Martins, mas quem tem de se sentir envergonhado por logo na primeira jornada da Liga haver treinadores e jogadores a destapar a careca da arbitragem é Vítor Pereira.
Os erros de arbitragem vão existir sempre e têm de se aceitar como fazendo parte do jogo. Quando são normais acabam por ficar distribuídos por todos os competidores, mas não é isso que se vê no futebol português. O que não pode existir é esta pressão colocada nos juízes que não os defende e os leva a ter desempenhos muito abaixo do que sabem, que só protege os interesses do presidente do Conselho de Arbitragem e até põe em causa a própria carreira. É por isso que Tiago Martins e muitos outros são também vítimas.
Tiago Martins, recorde-se, é um dos dois árbitros promovidos por Vítor Pereira na época passada a internacional sem nunca antes ter apitado um jogo dos grandes clubes, sem ter experiência dos grandes ambientes, sem fazer o percurso normal, de ir escalando degraus à medida que mostra competência – o outro é Fábio Veríssimo, que esteve sábado no Dragão. Vítor Pereira quer fazer árbitros à pressa, não para defender o futebol, não para defender os árbitros, mas para se defender a si próprio.
As nomeações para os jogos de estreia dos dois primeiros classificados do último campeonato seriam apenas insensatas se não fossem um padrão com demasiada interferência no normal desenrolar da competição. Vítor Pereira não pode deixar de ter noção que está a mais no futebol, que a maioria dos clubes não confia no seu trabalho, precisamente por não ser isento e que por isso até estavam dispostos a todos os riscos do sorteio. Como um náufrago, agarra-se ao polvo federativo e aos seus tentáculos, Pereira paga a sobrevivência com subserviência.
Os três assumidos candidatos ao título ganharam os seus jogos de estreia no campeonato, mas as vitórias não foram iguais e se houve candidatos com decisões simpáticas da arbitragem certamente não foi o FC Porto. Para que conste.

Aboubakar: "São dois golos motivadores"


Autor de dois golos e MVP da vitória por 3-0 do FC Porto frente ao Vitória de Guimarães, no passado sábado, na jornada inaugural da Liga NOS, o avançado Vincent Aboubakar considerou que o galardão reforça a confiança nesta fase inaugural da época, mas deixou claro que o importante é que o FC Porto ganhe.
Tenho de agradecer a quem fez as assistências, porque foi graças a eles que consegui marcar, observou o avançado camaronês, referindo-se aos laterais Alex Sandro e Maxi Pereira. São dois golos motivadores para continuar a trabalhar ao serviço da equipa. Ser considerado o melhor em campo reforça a minha confiança, mas o mais importante é que o FC Porto ganhe e que a equipa some pontos, disse Aboubakar, numa breve declaração a anteceder o treino desta segunda-feira dos Dragões.
O avançado deixou ainda uma palavra para os adeptos: São o 12.º jogador, em jogos com mais dificuldades vão apoiar-nos e dar-nos mais moral. São muito importantes, tanto em casa como fora. Vão ter um papel decisivo para tentarmos conquistar o campeonato.

Prossegue a preparação para o jogo na Madeira


O relvado do Centro de Treinos e Formação Desportiva PortoGaia voltou a contar com todos os jogadores do plantel do FC Porto no treino desta terça-feira. Foi o segundo da semana tendo em vista o jogo com o Marítimo, no Estádio da Madeira, a contar para a segunda jornada da Liga NOS (sábado, 20h45).
Sob as ordens de Julen Lopetegui, estiveram 28 jogadores, numa sessão que, tal como a do dia anterior​, contou com a participação do guarda-redes João Costa, do FC Porto B.
O plantel dos Dragões volta a treinar esta quarta-feira, novamente no Olival, pelas 10h30, com os primeiros 15 minutos abertos à comunicação social.

17/08/15

Aconteceu a 17 Agosto 1994

Neste dia era dia de finalíssima da Supertaça 1992/93, em Coimbra, frente ao Benfica. No final dos 90 minutos, 1-1 era o resultado, com Domingos a marcar para os Dragões. No prolongamento, persistia o empate: 2-2, Secretário foi o autor do golo. Num dramático desempate nas grandes penalidades, Drulovic marcou o penálti decisivo. Vítor Baía, João Pinto, José Carlos, Aloísio, Paulinho Santos, Emerson, Secretário, Rui Filipe, Folha, Rui Barros e Domingos formaram o onze inicial escolhido por Bobby Robson.


15/08/15

Aconteceu a 15 Agosto 1999

Agosto é mês de Supertaça e nós temos muitas para contar. Neste dia, conquistávamos mais uma, no Estádio das Antas, ao vencermos o Beira-Mar por 3-1, na segunda mão, que se somou a um triunfo por 2-1, em Aveiro. Fernando Santos era o treinador e fez alinhar: Vítor Baía, Secretário, Jorge Costa, Aloísio, Esquerdinha, Peixe,
Chainho, Capucho, Alessandro, Domingos e Jardel. Os golos portistas foram de Jardel e Lobão, na própria baliza.

FC Porto - Vitoria esta noite às 20h45

A lista de 20 convocados elaborada por Julen Lopetegui para a estreia na Liga NOS 2015/16, frente ao Vitória de Guimarães (sábado, 20h45), no Estádio do Dragão, contempla oito jogadores que chegaram ao plantel durante este defeso: Iker Casillas, Maxi, Varela, Dani Osvaldo, André André, Danilo, Bueno e Imbula.
Entre os eleitos destacam-se ainda as presenças de Alex Sandro e de Brahimi, que na sessão desta sexta-feira trabalhou sem limitações no relvado do Centro de Treinos e Formação Desportiva PortoGaia, no Olival. O guarda-redes João Costa, do FC Porto B, voltou a treinar às ordens de Julen Lopetegui.

Lista de 20 convocados: Helton e Iker Casillas (guarda-redes); Maxi, Martins Indi, Maicon, Marcano, Rúben Neves, Varela, Brahimi, Aboubakar, Dani Osvaldo, Tello, Evandro, Herrera, Hernâni, André André, Danilo, Bueno, Imbula e Alex Sandro.

11/08/15

Aconteceu a 11 Agosto 1978

Neste dia, o FC Porto preparava o arranque no campeonato e recebia o Chelsea, em jogo teste. Vitória por 2-1, com golos de Gomes e Oliveira, de uma equipa que se tinha sagrado campeã meses antes e que arrancava para o bicampeonato. No banco dos suplentes sentavam-se José Maria Pedroto e Jorge Nuno Pinto da Costa, treinador e chefe do departamento de futebol, a dupla que mudaria o centro de gravidade do futebol português.

10/08/15

"Bês" perdem na estreia

O FC Porto B perdeu, este domingo, com o Portimonense, por 2-1, no Estádio de Pedroso, na jornada inaugural da Segunda Liga. Os algarvios foram os primeiros a marcar (golo de Fabrício, aos 57m) e, apesar de terem empatado o encontro a cinco minutos do final (golo de André Silva, de penálti), os portistas sofreram um golo aos 90+2m, por André Carvalhas, e acabaram por se estrear da pior forma possível na competição.
Com o guarda-redes Raul Gudiño e o ponta-de-lança André Silva, que têm estado ao serviço de Julen Lopetegui na equipa principal, no 11 inicial, os bês entraram melhor na partida e após algumas ameaças, o avançado teve uma oportunidade de ouro para inaugurar o marcador, mas a bola saiu ao lado da baliza (8m). A partir dos 15 minutos, o Portimonense começou a equilibrar as operações e as melhores oportunidades foram mesmo dos algarvios: Fernandinho (26m) e Pires (28m) podiam ter marcado, mas não acertaram com a baliza de Gudiño. O 0-0 ao intervalo demonstrava as dificuldades de ambas as equipas em lidar com o calor que se sentia em Pedroso, num jogo combativo e bastante disputado.
Os Dragões entraram na segunda metade com maior intensidade do que o adversário, mas foi mesmo o Portimonense a marcar, aos 57 minutos, num livre directo cobrado de forma exemplar por Fabrício. Luís Castro já tinha colocado mais um avançado em campo – Leonardo Ruiz – e mexeu novamente aos 70, lançando Pité para a partida para tentar quebrar a defesa algarvia. Já com o avançado Cláudio em campo (entrou para o lugar do central Verdasca, aos 81m), os Dragões chegaram ao empate, aos 85 minutos, com um penálti de André Silva a castigar falta cometida sobre o próprio. Mas, pouco após a expulsão de Mikel (89m) e em tempo de compensação, o Portimonense alcançou o golo do triunfo, com André Carvalhas a cabecear a bola para o fundo da baliza, dando um travo de injustiça para os bês.
No final da partida, o técnico Luís Castro manifestou-se desiludido por averbar um resultado que, confessou, já não esperava após o golo do empate de André Silva: Com a expulsão do Mikel as coisas complicaram-se muito, pois tínhamos seis jogadores com propensão ofensiva em campo. Durante a primeira parte tivemos uns bons 20 minutos de jogo, mas não conseguimos manter esse ritmo até ao fim. Gostava de dizer que o 11 inicial passou, todo ele, pelos sub-19 do FC Porto e seria muito bom conquistar a vitória para realçar isso de forma positiva. Fica o sabor amargo de uma derrota que não belisca nada o que queremos fazer neste campeonato. Por seu lado, o médio e capitão de equipa Francisco Ramos deixou uma mensagem de esperança: A nossa equipa conta com muita gente nova e que ainda está a adaptar-se. Certamente que nos próximos jogos vamos trazer muitas alegrias aos nossos adeptos.
O FC Porto B tem agora encontro marcado com o Santa Clara, na segunda jornada da Segunda Liga, em jogo que está marcado para o próximo sábado, às 18h00 de Portugal Continental.

 
FICHA DE JOGO

FC PORTO B-PORTIMONENSE, 1-2
Segunda Liga, 1.ª jornada
9 de Agosto de 2015
Estádio de Pedroso, em Vila Nova de Gaia

Árbitro: André Moreira (Leiria)
Assistentes: Sérgio Serrão e Rui Freire
Quarto árbitro: João Bento

FC PORTO B: Raul Gudiño; Víctor García, Chidozie, Verdasca e Rafa; Mikel, Francisco Ramos (cap.) e Rui Moreira; Ruben Macedo, André SIlva e Graça
Substituições: Rui Moreira por Leonardo (55m), Ruben Macedo por Pité (70m) e Verdasca por Cláudio (81m)
Não utilizados: Caio, Rodrigo, Omar e Sérgio
Treinador: Luís Castro

PORTIMONENSE: Ricardo; Ricardo Pessoa (cap.),  Ivo, Marcel e Mamadu; André Carvalhas, Fernandinho, Dener, Ewerton e Fabrício; Pires
Substituições: Fernandinho por Ryuki (66m), Pires por André Ferreira (82m) e André Carvalhas por Ferreira (90+4m)
Não utilizados: Carlos, Chace, Alfredo e Buba
Treinador: José Augusto

Ao intervalo: 0-0
Marcadores: Fabrício (57m), André Silva (85m, pen.) e André Carvalhas (90+2m)
Disciplina: cartão amarelo a Mikel (75m e 89m) e Marcel (84m); cartão vermelho a Mikel (89m)

08/08/15

Aconteceu a 8 Agosto 1957

Neste dia, o FC Porto renova contrato com Dorival Yustrich, treinador brasileiro que tinha dois meses antes conquistado a primeira dobradinha para o clube. Yustrich tinha tanto de bom treinador como de conflituoso e a segunda época não correu bem, com sucessivos conflitos com os jogadores, com um triste episódio de socos com Hernâni, a estrela da equipa, o que levou à dispensa do técnico brasileiro no final da época. A verdade é que Yustrich já tinha entrado para a história do clube.

06/08/15

Cissokho: “A minha prioridade era vir para cá”

<iframe width="420" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/vnsqn-J6hXA" frameborder="0" allowfullscreen>

​Seis anos depois, Aly Cissokho está de volta ao Dragão, onde chega por um ano de empréstimo, proveniente dos ingleses do Aston Villa. O lateral-esquerdo francês de 27 anos, que representou o FC Porto em 2008/09, garante estar muito contente com o regresso ao clube que o projectou no futebol europeu e que, apesar de ter outras equipas interessadas na sua contratação, deu sempre prioridade aos portistas.
Estive cá há seis anos, o tempo passou rápido, mas nunca me esqueci do clube que me revelou e me deu a oportunidade de jogar ao mais alto nível. Senti que tinha que aproveitar a oportunidade desde que o FC Porto me contactou. Tinha várias propostas em carteira, mas deixei sempre claro que a minha prioridade era vir para cá, desde que o interesse se tornou real, afirmou o internacional gaulês, em declarações exclusivas ao www.fcporto.pt e ao Porto Canal.
Durante a entrevista que se seguiu ao primeiro treino ao lado dos novos companheiros, Cissokho quis deixar bem claro que o FC Porto foi sempre a primeira opção, por ter sido o clube em que ganhou títulos e que já conhece bem. É um clube em que sempre me senti bem tratado, que está no meu coração e, por isso, a escolha foi feita de forma rápida, argumentou o defesa que, antes de assinar contrato, teve a oportunidade de ter uma conversa muito agradável com o treinador Julen Lopetegui e os dirigentes portistas, com os quais teve sempre uma boa relação.
Depois de ter passado pelo Olympique de Lyon, Liverpool, Valência e Aston Villa, Cissokho é um jogador diferente daquele que deixou os Dragões no início do Verão de 2009. Mais velho e sobretudo mais experiente, mas com as mesmas qualidades, com muitos jogos na UEFA Champions League, na Premier League e nos campeonatos francês e espanhol. E sem medo da concorrência que vai ter pela frente no plantel azul e branco: Ela existe em todos os grandes clubes, estou aqui para ajudar a equipa a atingir os objectivos, nomeadamente ganhar o campeonato. Depois caberá ao treinador fazer a escolha. O dono da camisola 28 está confiante numa grande temporada, já que integra um plantel composto por muitos bons jogadores e por jovens muito promissores.

Numeração para a época 2015/16

1 - Helton
2 - Maxi Pereira
3 - Martins Indi
4 - Maicon
5 - Marcano
6 - Rúben Neves
7 - Varela
8 - Brahimi
9 - Aboubakar
10 - Dani Osvaldo
11 - Tello
12 - Casillas
13 - Sérgio Oliveira
14 - José Ángel
15 - Evandro
16 - Herrera
17 - Hernâni
18 - Adrián López
19 - André Silva
20 - André André
21 - Ricardo
22 - Danilo
23 - Bueno
24 - Lichnovsky
25 - Imbula
26 - Alex Sandro
28 - Cissokho
71 - Raul Gudiño

05/08/15

Dani Osvaldo assina por uma época, com duas de opção


O avançado Dani Osvaldo, de 29 anos, assinou esta quarta-feira um contrato de uma época com o FC Porto, tendo os Dragões a opção de o prolongar por mais dois anos. Em declarações ao Porto Canal, o avançado assumiu estar muito honrado por assinar pelos azuis e brancos: O FC Porto é um grande clube, um clube importante, e há que apontar a ganhar todas as competições em que entramos. Tenho uma grande vontade de começar a treinar e colocar-me na melhor forma.
O italo-argentino apresenta, no total da sua carreira sénior, 103 golos em 310 jogos realizados. Nascido em Lanús, na Argentina, mas com ascendência italiana, o novo dono da camisola número dez dos Dragões começou o seu percurso no Huracán, mas passou boa parte da sua carreira em Itália, ao serviço da Atalanta, Lecce, Fiorentina, Bolonha e, mais recentemente, Roma, Juventus e Inter de Milão. Passou também pelo Espanhol de Barcelona e pelo Southampton de Inglaterra, tendo actuado entre Fevereiro e Junho de 2015 pelo Boca Juniors, clube em que fez seis golos em 14 jogos.

Aconteceu a 5 Agosto 2002

Neste dia o FC Porto inaugurou a “fábrica” do Olival. Desde este dia que o Centro de Treinos e Formação Desportiva acolhe o trabalho diário das equipas do FC Porto e os jogos dos escalões de formação. Com quatro relvados e um sintético, para além de todas as outras estruturas de apoio, o centro de estágios é peça fundamental para as equipas do FC Porto.