08/01/16

Aconteceu a 8 Janeiro 1939

Neste dia realizou-se o primeiro jogo do campeonato nacional de futebol, uma organização da Federação Portuguesa de Futebol. O FC Porto arrancava a competição com a recepção ao Sporting, na Constituição. Vitória por 2-1, golos de Carlos Nunes e Costuras, bom pronúncio para o resto da competição, que terminaria com os Dragões a celebrarem o título, com apenas mais um ponto do que o Sporting.

Trabalho de recuperação no regresso aos treinos

O FC Porto regressou esta quinta-feira ao trabalho, no Centro de Treinos e Formação Desportiva PortoGaia, no Olival, numa sessão em que, à excepção de Casillas, os titulares do jogo de quarta-feira frente ao Rio Ave​, no Estádio do Dragão, realizaram trabalho de recuperação do desgaste da véspera, após uma pequena corrida no relvado.
Julen Lopetegui orientou o primeiro treino tendo em vista a deslocação ao Estádio do Bessa​, para defrontar o Boavista (domingo, às 18h15), referente à 17.ª e última jornada da primeira volta da Liga NOS, tendo contado com o defesa Víctor García, do FC Porto B. Alberto Bueno realizou tratamento e trabalho de ginásio, onde também esteve Cristian Tello, que acusou fadiga muscular. Dani Osvaldo não esteve presente, estando devidamente autorizado a apresentar-se mais tarde (Osvaldo rescindiu ontem o contrato).
O plantel azul e branco volta aos treinos esta sexta-feira, pelas 10h30, no Olival, à porta fechada.

28/12/15

Aconteceu a 28 Dezembro 1991

Neste dia, o FC Porto triunfou sobre o Gil Vicente por 1-0, mas o que é notícia é o FC Porto e Vítor Baía estenderem para 1169 minutos a inviolabilidade da baliza. Em 16 jornadas disputadas no campeonato nacional da I Divisão o FC Porto tinha apenas sofrido um golo, o que é impressionante. Para além de Baía, os defesas dessa equipa também merecem menção, eram eles João Pinto, Fernando Couto, Aloísio e Vlk.

Resumo do jogo:

Lopetegui quer “entrada forte” na Taça da Liga


Julen Lopetegui aponta a uma entrada forte na Taça da Liga, uma competição que os Dragões querem vencer e na qual se estreiam, em 2015/16, esta terça-feira (18h00), com a recepção ao Marítimo. O treinador lembra que os madeirenses – que até já disputaram uma jornada deste grupo A, vencendo no terreno do Feirense por 4-2 – têm legítimas aspirações ao primeiro lugar, que dá acesso às meias-finais, e vão por isso encarar o encontro como uma final.
É uma equipa com as suas armas e com grande motivação. Nós temos de ter a mesma motivação e jogar um bom futebol para sermos capazes de ganhar. Temos de atacar bem, defender bem e ser uma equipa organizada e ambiciosa. Sabemos quais as circunstâncias que rodeiam o jogo, mas não podemos fazer nada para as mudar e temos de levar o foco para onde queremos, afirmou Lopetegui, em exclusivo ao Porto Canal e www.fcporto.pt.
O basco admite que esta nova competição também faz sonhar o plantel com um triunfo final. Mas o caminho será duro a partir do primeiro obstáculo, o Marítimo, que é uma boa equipa. Já têm um jogo feito e vão enfrentar o de amanhã como uma final. Temos de fazer frente a essa situação e ser capazes de superar no nosso estádio uma boa equipa que vem como tudo. Tentaremos fazer o melhor onze para poder vencer, detalhou.
As circunstâncias especiais a que Lopetegui se refere têm a ver com o posicionamento deste encontro no calendário, após a paragem para férias de Natal, das quais o plantel regressou no domingo. Segue-se um mês de Janeiro com nove jogos, sete deles longe do Dragão: Estamos num ciclo forte há muito tempo e continuaremos. Esse é o resultado de uma equipa que está a lutar por várias competições e que quer competir em todas. Aceitamos isso de bom grado.

Quatro regressos e um Bê para a estreia na Taça da Liga


Lichnovsky, Imbula, André André e Varela, bem como Víctor García, da equipa B, são as novidades na lista de 18 convocados elaborada por Julen Lopetegui para a recepção ao Marítimo, marcada para esta terça-feira, às 18h00 (transmissão em directo na SportTV), no Estádio do Dragão, referente à primeira jornada do Grupo A da Taça da Liga.
Em relação à convocatória para o jogo diante da Académica (3-1), saem dos eleitos do técnico espanhol Maxi Pereira, Martins Indi, Danilo Pereira, Herrera, Brahimi e Alberto Bueno.
No treino desta segunda-feira, que decorreu no Centro de Treinos e Formação Desportiva PortoGaia, no Olival, Julen Lopetegui apenas não teve à disposição Alberto Bueno, que realizou tratamento e trabalho de ginásio. Esta terça-feira, a equipa ainda treina à porta fechada, no Estádio do Dragão, às 10h30.

Lista de 18 convocados: Helton e Casillas (guarda-redes); Maicon, Marcano, Rúben Neves, Varela, Aboubakar, Tello, Sérgio Oliveira, José Ángel, Evandro, Jesús Corona, André Silva, André André, Miguel Layún, Lichnovsky, Imbula e Víctor García.

Pinto da Costa: “Não sairá nenhum jogador fundamental”


Jorge Nuno Pinto da Costa discursou, este domingo, no jantar de apoio à sua recandidatura na presidência do FC Porto e garantiu que em Janeiro não sairá nenhum dos jogadores que o treinador considera fundamentais para o clube, revelando nada estar previsto quanto a entradas no plantel principal mas deixando a ressalva de ainda não ter aberto o mercado. O líder dos Dragões reafirmou o compromisso do clube em conquistar títulos e disse, em referência ao contrato assinado com a PT sobre os direitos televisivos dos jogos do FC Porto disputados no Dragão, que é um bom acordo para as duas partes e que foi alcançado por um valor inédito para o mercado português.
Vai ser um ano difícil para Portugal e para o FC Porto, porque quanto mais crescemos e maior o destaque que tivermos, mais inimigos teremos. Não podemos pensar que estamos num país altamente centralista, onde o FC Porto incomoda muita gente. Vamos lutar para poder ser fortes e para conquistar títulos. Não se incomodem quando virem que vão sair três jogadores do plantel, porque não sairá ninguém que não seja possível impedir e, dos jogadores que o treinador considera fundamentais para o clube, posso garantir que não vão sair, disse Pinto da Costa no Monte Aventino, no Porto.
O presidente do FC Porto afinou pelo mesmo diapasão quando falou de eventuais entradas no plantel: Não adianta dizer que andam olheiros a ver este ou aquele, porque sabemos que em 90 por cento dos casos é mentira. Sabemos que é estratégia; não está prevista nenhuma entrada, mas não vou dizer que não vai entrar ninguém. Caso contrário, depois dizem que estava a enganar. No momento em que falo, não está nada previsto, mas ainda não abriu a época de transferências.
Satisfeito por poder contar com Julen Lopetegui, um técnico que segue as suas convicções, Pinto da Costa aproveitou para fazer um balanço da época da equipa principal até agora: No campeonato estamos em primeiro, com um ponto mais do que o Sporting, que está a fazer uma época sensacional, e estamos a cinco pontos do Benfica. Na Taça de Portugal estamos nos quartos-de-final. No momento em que falo ainda não sofremos qualquer golo na Taça da Liga e fomos eliminados da Champions, que foi negativo, mas estamos na Liga Europa. O balanço é positivo.
O presidente falou também do acordo anunciado esta madrugada sobre os direitos televisivos dos Dragões: É um valor inédito na história do futebol português, mas não andamos atrás de bater recordes, nem de dizer que temos mais ou menos do que os outros. Fazemos os nossos contratos. Se os outros fizerem melhor, não temos nada a ver com isso. Se não conseguirem, também não. Fazemos os nossos acordos sem pensar nos outros. Somos o FC Porto e as comparações não nos preocupam.
O líder máximo dos portistas abordou ainda a mais recente aposta dos Dragões numa modalidade muito querida em Portugal: É com espírito de clube eterno que penso que há sempre mais a fazer. Por isso fiz questão de termos o ciclismo, porque é uma paixão de muitos presentes, que são de zonas de tradição.

FC Porto assina maior contrato da história do desporto português

O FC Porto cedeu à PT o direito de transmissão dos jogos em casa do campeonato nacional durante dez épocas, a partir da época 2018, por 457,5 milhões de euros, no que é o maior contrato da história do desporto em Portugal.
Paralelamente, o contrato prevê a cedência da publicidade nas camisolas já a partir de Janeiro, ao mesmo tempo que garante à PT durante 12 épocas e meia, com início a 1 de Janeiro próximo, do direito de transmissão do Porto Canal.
Até ao Verão de 2018 mantém-se em vigor o contrato de cedência dos direitos de transmissão dos jogos em casa do campeonato, anteriormente assinado.

A Futebol Clube do Porto – Futebol, SAD vem comunicar, nos termos do artigo 248º nº1 do Código dos Valores Mobiliários, que o Grupo FC Porto chegou a acordo com a PT PORTUGAL SGPS SA, pelo valor global de EUR. 457.500.000, para a cedência de:
a) Direitos de Transmissão Televisiva dos jogos disputados pela Equipa Principal de Futebol, na qualidade de visitado, na Primeira Liga, bem como do Direito de Exploração Comercial de Espaços Publicitários do Estádio do Dragão, pelo período de 10 épocas desportivas, com inicio em 01 de Julho de 2018;
b) Direito de Transmissão do Porto Canal, pelo período de 12 épocas e meia, com inicio a 01 de Janeiro de 2016; e
c) Estatuto de Patrocinador Principal do FC Porto, com o direito de colocar publicidade na parte frontal das camisolas da Equipa Principal de Futebol do FC Porto, pelo período de 7 épocas e meia, com inicio a 01 de Janeiro de 2016.

01/12/15

Aconteceu a 2 Dezembro 1945

Neste dia o FC Porto inaugurava o seu jornal informativo, passando a enviar pelos correios e por colaboradores do clube para a residência dos subscritores o Boletim Informativo. Certamente porque os custos não eram pequenos, o serviço não era gratuito e custava seis escudos mensais.

27/11/15

Aconteceu a 27 Novembro 1985

Neste dia Madjer fazia a capa do jornal O Porto. A entrevista ao argelino chegado ao FC Porto cerca de um mês antes com grande impacto na equipa tinha como título Encontrei no FC Porto a minha segunda família. E a verdade é que 30 anos volvidos Madjer contínua a pertencer à nossa família, direito que ganhou com exibições memoráveis e golos fantásticos e para a história.

Feirense é o adversário na Taça de Portugal


O Feirense, quarto classificado da Segunda Liga, vai receber o FC Porto na quinta eliminatória (oitavos-de-final) da Taça de Portugal, em encontro que se deverá realizar entre os dias 15 e 17 de Dezembro, no Estádio Marcolino de Castro. Este foi o resultado do sorteio realizado esta quinta-feira no Auditório Manuel Quaresma, na sede da Federação Portuguesa de Futebol.
Esta será a quarta vez que os Dragões enfrentam a formação de Santa Maria da Feira na Taça de Portugal, tendo as três anteriores sido favoráveis aos azuis e brancos. O último encontro na prova entre as duas formações foi em 1990/91, nas meias-finais, tendo sido necessário um segundo jogo (vitória por 2-0 nas Antas), após um empate (1-1) na primeira mão. O FC Porto viria a conquistar a Taça, na final frente ao Beira-Mar (3-1, após prolongamento). Mais recentemente, na última passagem do Feirense pela Primeira Liga, em 2011/12, os portistas venceram por 2-0 no Dragão e empataram (0-0) fora. Aliás, em 12 partidas oficiais, o FC Porto nunca perdeu frente a este adversário (dez triunfos e dois empates).
O Feirense é também adversário dos portistas na Taça da Liga, estando o confronto entre as duas formações, a contar para a terceira jornada do grupo A, agendado para 26, 27 ou 28 de Janeiro de 2016, novamente no Estádio Marcolino de Castro.
Na actual edição da Taça de Portugal, o Feirense já eliminou o Sabugal, do Campeonato Nacional de Seniores (2-0, fora), o Famalicão, da Segunda Liga (1-1, fora, 5-4 após desempate por grandes penalidades) e o Atlético da Malveira, do CNS (1-0, fora).

09/11/15

Aconteceu a 9 Novembro 1986

Aurora Cunha é dos grandes nomes do atletismo do FC Porto e neste dia sagrou-se campeã mundial de estrada, na prova que se realizou em Lisboa. O título nem era novidade para a atleta, que repetia a vitória.

Regresso ao trabalho na quarta-feira


Após a vitória deste domingo, contra o Vitória de Setúbal (2-0), o FC Porto cumpre dois dias de folga, pelo que o regresso ao trabalho está agendado para quarta-feira, com um treino às 11h30, no Centro de Treinos e Formação Desportiva PortoGaia, no Olival, com os primeiros 15 minutos abertos à comunicação social.
Este será o primeiro ensaio para o encontro da quarta eliminatória da Taça de Portugal, com o Angrense, que está agendado para 21 de Novembro, às 18h00 de Portugal Continental, no Estádio João Paulo II, em Angra do Heroísmo.

Aboubakar: “O mais importante foi a vitória”


No final da partida frente ao Vitória de Setúbal (2-0), em que marcou o primeiro golo da noite, Aboubakar destacou o grande trabalho da equipa, observando que o mais importante foi mesmo chegar à vitória. O avançado fez o seu quinto golo em nove jogos na Liga NOS.
Foi um jogo difícil, conseguimos ter paciência e acabámos por marcar dois golos. O mais importante foi mesmo chegar à vitória contra uma equipa defensiva e que nos dificultou muito a vida, disse o internacional camaronês.

Tello: “A equipa soube ter paciência”

Cristian Tello falou em paciência no momento de analisar a vitória por 2-0 do FC Porto frente ao Vitória de Setúbal, sublinhando a justiça do resultado pela atitude que a equipa demonstrou este sábado para conseguir chegar à vantagem. O avançado assumiu que se sente bem neste momento da temporada e referiu que pouco interessa quem marca: O que interessa é que a equipa chegue aos três pontos.
Custou-nos um pouco a princípio, o Vitória de Setúbal estava muito metido atrás. Tivemos ocasiões suficientes para chegar ao intervalo a ganhar, não conseguimos; a equipa teve paciência e conseguiu marcar na segunda parte, numa vitória que acho que foi justa, disse o espanhol, em declarações ao Porto Canal.
Assumindo que tem sempre confiança em si próprio – Se eu não acreditar em mim, quem vai acreditar? -, Tello espera continuar a ter oportunidades e fez uma pequena antevisão do jogo frente ao Angrense, que está agendado para 21 de Novembro, às 18h00 de Portugal Continental: Vai ser um jogo muito difícil, numa viagem longa. A equipa encara cada jogo com a vitória em mente e é assim que vamos encarar o jogo da Taça.

Layún: "Foi um jogo de sonho"

Miguel Layún assistiu Aboubakar para o primeiro golo e marcou o segundo, tendo por isso sido considerado o MVP da partida com o Vitória de Setúbal, da décima jornada da Liga NOS, que os Dragões venceram por 2-0. O internacional mexicano, que já antes tinha ameaçado a baliza sadina por duas vezes, esperava um jogo exigente e sublinhou o desempenho e a persistência da equipa. No fim, recebeu o prémio das mãos de Ricardo Bastos, director do trabalhocerto.pt, e de Susana Monteiro, cliente convidada pelo site.
É sempre bonito jogar contra equipas que também querem marcar, para poder dar um bom espetáculo. Sabíamos que era um jogo difícil diante de uma equipa com bons jogadores, que cria ocasiões de golo e que não nos concedeu espaços. Tivemos de os gerar com tranquilidade e inteligência e ter paciência para marcar e conseguir a vitória, afirmou o lateral esquerdo, em declarações no final do encontro no Estádio do Dragão.
Depois de ter apontado o segundo golo do triunfo sobre o Maccabi Telavive para a Liga dos Campeões, Layún voltou a marcar, já depois de ter servido Aboubakar para o 1-0. Foi um jogo de sonho, estou muito feliz por viver este dia. Tivemos uma grande semana. Esta é a equipa que temos de ser a cada jogo. O que há melhor do que dar uma vitória mais aos nossos adeptos, perguntou o número 21 dos Dragões, muito contente por poder viver estes momentos.
O lateral esquerdo rejeitou ainda que o FC Porto esteja mais pressionado pelo facto de ter menos um jogo do que o Sporting, actual líder da Liga NOS. Esta equipa está sempre obrigada a ganhar. A história deste clube é assim. Temos de ser inteligentes e jogar cada jogo como fizemos hoje.

Lopetegui: "Tivemos uma grande mentalidade"


Uma boa exibição, uma vitória justa (2-0), mas curta tendo em contas as várias e claras oportunidades que o FC Porto dispôs para construir um resultado mais robusto. Foi desta forma que Julen Lopetegui resumiu o jogo deste domingo frente ao Vitória de Setúbal, em que desde cedo os Dragões tomaram de assalto a baliza de Lukas Raeder, mas só chegaram ao primeiro golo aos 70 minutos.
Já sabíamos que iriamos defrontar uma boa equipa, organizada, que tem 16 golos marcados, que nos ia criar dificuldades. A diferença foi que demorámos muito a acertar na baliza depois de muitas ocasiões de que dispusemos. Quando não se marca, os jogadores podem ficar nervosos e até ansiosos, mas a equipa soube manter a serenidade, ter uma boa postura e uma grande mentalidade e acabou por marcar dois golos, afirmou o técnico espanhol em declarações no final do encontro da décima jornada.
Para Lopetegui, a falta de eficácia marcou a diferença entre as duas metades da partida, porque a equipa foi forte tanto na primeira como na segunda: Nos primeiros 45 minutos, jogámos com muita velocidade, corremos muito, tivemos 60 por cento de posse de bola, só nos faltou acertar na baliza. Fizemos um jogo muito bom em todos os aspectos, a equipa fez tudo o que tinha que fazer para vencer e, com a ajuda dos adeptos, conseguimos mais um triunfo importante e merecido, destacou o técnico espanhol, para quem o Estádio do Dragão soube dar a energia que a equipa precisava e que, no futuro, vai continuar a precisar para continuar a ganhar jogos.
O momento de forma de Aboubakar e Miguel Layún, os autores dos golos portistas, também mereceu um comentário do técnico espanhol. Todos sabemos o que os golos significam para os avançados, mas o Aboubakar é útil para a equipa mesmo quando não os marca, porque ajuda a encontrar outros caminhos para o golo. O Layún é um jogador com quem estamos encantados, pela energia, pela entrega e pela qualidade que nos dá, sublinhou Lopetegui.
Nesta 15.ª jornada da Liga NOS, os Dragões alargaram para 16 a série de partidas consecutivas sem sofrer golos em casa e bateram um recorde que durava desde 1994, quando Sir Bobby Robson era o treinador dos Dragões. O técnico basco voltou, no entanto, a desvalorizar os números, porque não dão pontos: Temos que continuar a trabalhar, a melhorar, temos muito caminho e muito trabalho pela frente, acrescentou.
No final da conferência, Julen Lopetegui foi ainda desafiado a comentar o episódio registado no jogo da jornada passada da Liga, entre o Sporting e o Estoril, em que Jorge Jesus se dirigiu ao quarto árbitro. Eu sou treinador de futebol e o desporto tem valores concretos e muito importantes. Se há algo para se investigar, que se investigue. Os valores mais importantes do desporto são a honestidade e a competição limpa. Não tenho dúvidas disso.

Aboubakar e Layún fizeram cumprir a tradição


A baliza do Vitória de Setúbal​ chegou a parecer protegida por uma mão divina, tal a quantidade de oportunidades que os Dragões desperdiçaram, mas, com golos de Aboubakar (70 minutos) e Layún (84), o FC Porto venceu os sadinos por 2-0 e manteve-se assim no segundo lugar da Liga NOS (21 pontos), na perseguição ao líder Sporting. Cumpriu-se assim a tradição, já que este foi o 26.º encontro consecutivo com os setubalenses que os portistas venceram e o 67.º triunfo em 79 encontros na casa azul e branca, para a Liga. Para além disso, o FC Porto já vai em 1475 minutos (16 jogos completos) sem sofrer golos em casa para o campeonato e leva 19 partidas consecutivas sem perder em todas as competições, num registo que já vem da época passada.
Os Dragões recebiam uma equipa que não podia ser desvalorizada numa análise minimamente rigorosa: o Vitória de Setúbal chegou ao Dragão no oitavo lugar da Liga (14 pontos) e com possibilidade de chegar ao quinto, com apenas uma derrota e tantos golos marcados como os Dragões (16), nove deles fora de casa (só Sporting e Rio Ave fazem melhor). Para além disso, registam mais vitórias fora (duas) do que em casa (uma) e estavam há três jogos sem sofrer golos. Por isso, Julen Lopetegui promoveu apenas uma alteração no onze face à vitória em Israel, frente ao Maccabi Telavive: André André cedeu o lugar ao recuperado Brahimi, tornando, no papel, a equipa mais ofensiva. E atacar foi aquilo que os portistas mais fizeram durante os 90 minutos.
Os setubalenses apresentaram-se no Dragão em 4-4-2 e com uma nítida intenção de pressionar o adversário em zonas altas e de jogar em todo o campo. Porém, as intenções apenas surtiram efeito nos primeiros 15 minutos. Depois, registou-se uma verdadeira avalanche de futebol ofensivo dos azuis e brancos, que circularam quase sempre bem a bola, procuraram os flancos e as zonas interiores e remataram de várias posições, sem nunca conseguir bater Raeder no primeiro tempo. Foram nove oportunidades claras de golo durante os primeiros 45 minutos, em que o FC Porto teve 72 por cento de posse de bola e rematou por 11 vezes, contra duas do adversário. Aboubakar acertou na barra logo aos seis minutos - depois de em Israel ter acertado por duas vezes nos postes -, mas a primeira parte terminou com um verdadeiro tiro ao boneco dos Dragões e o guarda-redes Raeder a deter espectacularmente um remate de fora da área de Layún.
Os portistas eram muitíssimo superiores, mas parecia faltar um qualquer pozinho para chegar ao golo. No recomeço, André André surgiu no lugar de Rúben Neves, certamente não porque o capitão (que tinha visto amarelo) estivesse a jogar mal, mas para dar mais poder de fogo e criatividade ao meio-campo, em que Danilo ficava agora sozinho nas missões mais defensivas. O sentido do jogo manteve-se inalterado, com o FC Porto a exercer uma enorme pressão sobre os forasteiros, que sentiam muitas dificuldade em sair do último terço do campo. Aos 59 minutos, Osvaldo substituiu Evandro e reforçou o ataque azul e branco - a partir deste momento, as linhas azuis e brancas subiram ainda mais, com a defesa a jogar junto à linha de meio-campo e o Vitória de Setúbal a recuar, deixando um enorme espaço entre a linha média (que se juntou à defesa) e o ataque.
O golo portista parecia tão lógico que se percebia bem a inquietação da equipa e do público por ele não surgir. Mas os Dragões nunca perderam a identidade nem cederam à tentação de despejar bolas para a área contrária. E, aos 70 minutos, após uma mais uma troca de bola à procura de espaço na área contrária, Layún lá descobriu Aboubakar no centro da área e o camaronês apontou o seu quinto golo na Liga e oitavo na temporada, quebrando assim a malapata que o vinha impedindo de traduzir em golos as boas exibições. Layún, indiscutível MVP do encontro, ainda fez o 2-0, aos 84, com um belo remate após cruzamento de Maxi. Foi o segundo encontro consecutivo em que o mexicano fez o gosto ao pé.

02/11/15

Aconteceu a 2 Novembro 1977

Este dia ficou para a história pelos dois belos golos de Seninho, em Old Trafford, que não evitaram uma derrota por 5-2 diante do Manchester United, mas permitiram ao FC Porto, treinado por José Maria Pedroto, avançar para os quartos-de-final da Taça das Taças, depois da brilhante vitória por 4-0, no Estádio das Antas, na primeira mão. O veloz avançado foi o herói do jogo marcado por uma arbitragem muito caseira de Einbeck, da ex-RDA. 


Resultados do fim-de-semana (31-10 e 01-11)

Sábado, 31 de Outubro

Sub-10: Campeonato Distrital, 2.ª jornada
FC Porto-FC Gaia, 18-0

Sub-10 (Futebol 7): Campeonato Distrital, Série 3, 1.ª fase, 3.ª jornada
Boavista-FC Porto, 6-4

Sub-10 (Futebol 7): Campeonato Distrital, Série 2, 2.ª jornada
FC Porto-Paços de Ferreira, 4-1

Sub-10/11 misto: Campeonato Distrital, 1.ª fase, 2.ª Jornada
Rio Ave-FC Porto, 0-7

Sub-11 misto (Futebol 7): Campeonato Distrital, Série 6, 2.ª jornada
FC Porto-Vila Meã, 9-2

Sub-11 misto (Futebol 7): Campeonato Distrital, Série 2, 2.ª jornada
FC Pedroso-FC Porto, 0-14

Sub-15: Campeonato Nacional Juniores C, 1.ª fase, Série B, 10.ª jornada
Dragon Force-Moreirense, 1-2

Domingo, 1 de Novembro

Sub-14: Campeonato Distrital, Série 2, 1.ª Fase, 4.ª jornada
Dragon Force-GD Águas Santas, 10-0

Sub-14: Campeonato Distrital, Série 1, 1.ª Fase, 4.ª jornada
FC Porto-Macieira Maia, 5-1

Sub-17: Campeonato Nacional de Juniores B, Série B, 1.ª fase, 8.ª jornada
Padroense-Feirense, 0-0

Árbitro grego no jogo com o Maccabi Telavive

​Sidiropoulos Anastasios vai dirigir o jogo entre Maccabi Telavive e FC Porto (quarta-feira, 19h45), a contar para a quarta jornada do Grupo G da Liga dos Campeões. O juiz grego, de 36 anos, vai ter a auxiliá-lo os compatriotas Efthymiadis Damianos e Kostaras Polychronis (assistentes), Tritsonis Stavros e Spathas Ilias (assistentes adicionais) e Dimitriadis Lazaros (quarto árbitro).
É a segunda vez que o árbitro grego se cruza com equipas portuguesas esta época, após apitar o recente Benfica-Astana (2-0). O juiz, que nunca se encontrou com o FC Porto, também já arbitrou encontros do Estoril, por duas vezes (a primeira das quais também em Israel, em 2013/14, frente ao Hapoel Ramat Gan), e a selecção Sub-21, por três vezes, com uma curiosidade: as equipas portuguesas venceram sempre.

22/10/15

Aconteceu a 22 Outubro 2003

Neste dia, reviravolta em Marselha. Depois de perder em casa com o Real Madrid o FC Porto precisava de vencer em França para simplificar as contas do apuramento na Liga dos Campeões. A verdade é que até foi o Marselha a adiantar-se no marcador, mas a revolta dos Dargões não demorou muito, com Maniche, Derlei e Alenitchev a marcarem os golos da vitória do FC Porto por 3-2. Ainda estava no princípio uma caminhada que só haveria de terminar em Gelsenkirchen.

Pinto da Costa : "Há um manto protector sobre tudo"


Jorge Nuno Pinto da Costa considera que se as famosas ofertas feitas pelo Benfica aos árbitros, nos jogos em casa, se passassem no FC Porto, o caso já tinha extravasado as fronteiras mediáticas portuguesas. No meio de tanta anormalidade que vejo todos os dias, já acho tudo normal. Só há uma coisa interessante: há coisas que se têm passado no futebol português, e que não é preciso individualizar, que, se fosse connosco, a esta hora já estavam na CNN, declarou às edições desta quinta-feira dos jornais JN e O Jogo.
Um dia depois de Vítor Pereira, presidente do Conselho de Arbitragem, ter afirmado que desconhecia as caixas entregues aos árbitros, delegados e observadores dos jogos realizados no Estádio da Luz e no Seixal, o presidente portista defendeu que continua a existir no futebol português um manto protector sobre tudo, que se passa levemente. É como o Augusto Gil, batem leve, levemente… Mas se fosse no FC Porto, não bateriam levemente, já estaríamos mortos nesta altura, acrescentou.
Falando à margem da apresentação da escola Dragon Force Toronto, Pinto da Costa também comentou o feito de Rúben Neves no jogo frente ao Maccabi Telavive, em que se tornou o mais jovem capitão de sempre na Liga dos Campeões: Senti uma grande satisfação ao vê-lo com a braçadeira, porque a mística do FC Porto também se faz de jogadores nascidos aqui. Trata-se de um jogador com largo futuro, que tem sabido manter a modéstia e não se colocou em bicos de pés, e esse tem sido um dos grandes trunfos na sua evolução favorável e positiva. Espero que ele fique muitos anos no FC Porto. O Rúben Neves tem contrato até 2019 e gostaríamos de o manter no clube, como uma espécie de João Pinto. Que ele fosse um símbolo da transmissão da mística por várias gerações.
O presidente portista deu um outro exemplo do que é ser um jogador à Porto: É preciso escolher bem os jogadores que, pelo seu carácter, se adaptem bem à nossa mística, como é o caso de Maxi Pereira, como toda a gente reconhece hoje. Ele tem uma entrega total durante os 90 minutos e vive intensamente o clube, como se aqui tivesse nascido.

18/10/15

Aconteceu a 18 Outubro 2006

Neste dia, o FC Porto recebia o Hamburgo para a Liga dos Campeões e despachava os alemães por uns claros 4-1. Lisandro (dois), Hélder Postiga e Lucho González fizeram os golos num jogo em que os Dragões mostraram enorme superioridade.

Marcano está apto e Maicon continua recuperação



Marcano está apto e já trabalhou este domingo sem limitações, no Centro de Treinos e Formação PortoGaia, no Olival. Na primeira sessão tendo em vista a recepção ao Maccabi Telavive, em encontro da terceira jornada do grupo G da Liga dos Campeões (terça-feira, 19h45), Maicon prosseguiu a recuperação da sua lesão, tendo efectuado tratamento.
O plantel do FC Porto volta a treinar esta segunda-feira, pelas 10h30, no Estádio do Dragão, com os primeiros 15 minutos abertos à comunicação social. Às 13h00, no Auditório José Maria Pedroto, o treinador Julen Lopetegui e um jogador vão antever o duelo com os israelitas. A conferência de imprensa terá transmissão em directo no Porto Canal.

Declarações do Varzim 0 FC Porto 2


Julen Lopetegui era um homem satisfeito no final do encontro no terreno do Varzim, que o FC Porto venceu por 2-0, garantindo assim o passaporte para a quarta eliminatória da Taça de Portugal. O treinador considerou que a sua equipa esteve bem, face a um adversário organizado e bem trabalhado, e poderia ter resolvido o encontro muito antes de André Andre estabelecer o resultado final, aos 90 minutos. Mesmo sem querer olhar para mais do que o jogo seguinte, o basco deixou uma garantia: o FC Porto vai lutar com todas as forças para vencer a competição.
Conseguimos o objectivo de classificar-nos, ante uma boa equipa, que sabíamos que nos ia causar dificuldades. Jogámos no campo do adversário, um clube com historial e alma. Era um jogo de Taça. A equipa esteve bem, superou momentos de dificuldade e penso que podíamos ter fechado o jogo mais cedo. Porém, conseguimos uma vitória merecida, afirmou, em declarações no final do encontro. O técnico explicou depois as razões para as entradas de Danilo e André na segunda parte: Estavam em campo muitos jogadores que não têm ritmo e isso sente-se quando passa o minuto 50 ou 60. Tive de fazer algumas substituições para estar equilibrado, continuar a atacar e ter oportunidades para fechar o jogo.
Lopetegui voltou a sublinhar que o único jogo que o preocupa é seguinte e não quis por isso olhar para o próximo ciclo de encontros nem para um eventual reforço da posição de atletas menos utilizados. Em primeiro lugar, estamos contentes pelo resultado. Tínhamos em campo jogadores com menos ritmo e que tinham de assumir, mas são jogadores do FC Porto e estão preparados. Alguns terminaram com dificuldades, pois não têm ritmo, mas tenho de dar os parabéns a todos, analisou, já na sala de imprensa.
Em relação à Taça de Portugal, o treinador limitou-se a evidenciar a natural ambição do clube: A expectativa do FC Porto é sempre a de ganhar todos os jogos e troféus. É um objectivo que temos e que vamos tentar com todas as forças.

No final do encontro com o Varzim, Tello revelou-se contente pelo jogo que fez e contentíssimo pelo golo, analisando ainda a exibição da equipa como séria, o que se reflectiu depois no resultado. O golo que apontou, do 1-0, foi descrito como uma jogada muito rápida de um para um.
Creio que a equipa trabalhou desde o primeiro momento. Sabíamos das dificuldades que nos podia trazer um jogo num campo como este. Creio que a equipa foi séria desde o início e isso reflectiu-se no resultado, afirmou o avançado, no final da partida. Seguiu-se a avaliação à exibição pessoal: Estou muito contente pelo meu jogo e por ter cumprido os 90 minutos, o que me dá ritmo. Estou contentíssimo pelo golo, que dá muita confiança.
Está ultrapassada a terceira eliminatória da Taça de Portugal, a primeira em que o FC Porto participa, mas Tello sabe que o desafio é chegar ao fim e erguer o troféu. Entramos em cada competição com a ideia de a ganhar. Esta taça é difícil, vamos levá-la jogo a jogo para tentar chegar à final.